Os programas de promoção de saúde nas organizações

October 3, 2014

*video traz de maneira sintética o tema Promoção de Saúde            

 

           Buscando aprimorar a agilidade nas ações e a qualidade dos seus serviços e produtos, as organizações vêm percebendo que a melhor maneira para acompanhar as constantes inovações tecnológicas é o compartilhamento de conhecimento com foco no capital humano, a se destacar a qualidade de vida dos seus funcionários. Para atingir essa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) as organizações lançam mão dos Programas de Promoção da Saúde do Trabalhador (PPST), que nada mais são do que diferentes estratégias para garantir esse fim, com fortes influências às organizações e aos seus colaboradores(1-3).

 

            Historicamente esse processo se iniciou com a “medicina do trabalho”, que teve início com a Revolução Industrial, quando percebe-se que os processos industriais estavam se dando de modo insustentável. Essa situação inclui pela primeira vez o médico nas organizações4. Após essa iniciativa, intensifica-se a pesquisa na QVT, de modo que, com o movimento das Relações Humanas surge a “Saúde Ocupacional”, baseada em um olhar multi e interdisciplinar. Já na década de 70, organizado por Louis Davis, consolida-se o conceito de QVT5. Estes conceitos se basearam nas teorias motivacionais de Hezberg e Maslow, que consideravam as condições de trabalho, as características individuais e a produtividade6.

           

            Com a valorização das doenças cardíacas, distúrbios mentais, câncer, estresse e outras doenças, sentiu-se necessária uma inclusão de ações de promoção de saúde, buscando modificar positivamente o estilo de vida dos trabalhadores. Segundo Veras7 a valorização ocorreu graças ao aumento das doenças crônicas, decorrente principalmente das transformações sociais e econômicas das últimas décadas, que acabaram por interferir nos estilos de vida das sociedades contemporâneas. Barreto et al.8 ainda acrescentam que estas doenças são importantes causas de morbidade e mortalidade entre adultos e idosos. O diagnóstico de doenças crônicas dentro do ambiente de trabalho vem aumentando vertiginosamente, aumentando ainda mais a relevância desta problemática9.

           

            Dessa forma, surge uma linha de pensamento chamada de “saúde do trabalhador”, processo onde o trabalhador passa a ter consciência e compreensão plena da realidade e dos processos ao qual está inserido. A partir daí, incluem-se temas como o estresse ocupacional, a gestão inclusiva de minorias, a responsabilidade social, o assédio moral, o sofrimento psíquico e as doenças psicossomáticas, as lesões por esforço repetitivo (LER) e os distúrbios osteomusculares relacionados com o trabalho (DORT), o uso abusivo de medicamentos associado ao trabalho, além de outras problemáticas(10-11).

 

            Tendo em vista que todos esses problemas vêm influenciando diretamente os resultados organizacionais nos últimos anos, o empresariado brasileiro vem buscando incessantemente novas metodologias de Promoção de Saúde e QVT1. Ainda assim, o Ministério da Saúde criou em 2006 a Política Nacional de Promoção de Saúde (PNPS), que por meio de ações estratégicas, busca levar a qualidade de vida à sociedade, delegando funções a diferentes setores, inclusive organizações privadas e não governamentais. De acordo com a PNPS, são elencadas como suas ações específicas: a divulgação e implementação da Política Nacional de Promoção da Saúde; a alimentação saudável; a prática corporal/atividade física; a prevenção e controle do tabagismo; a redução da morbi-mortalidade em decorrência do uso abusivo de álcool e outras drogas; a redução da morbi-mortalidade por acidentes de trânsito; a prevenção da violência e estímulo à cultura de paz e a promoção do desenvolvimento sustentável12.

 

            Tratando especificamente da segurança e saúde do trabalhador, a Presidência da República promulgou no ano de 2011 o Decreto Nº 7.602, que dispõe sobre a Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho (PNSST), e tem por objetivo a promoção da saúde e a melhoria da qualidade de vida do trabalhador bem como a prevenção de acidentes e de danos à saúde advindos, relacionados ao trabalho ou que ocorram no curso dele, por meio da eliminação ou redução dos riscos nos ambientes de trabalho13. Mais recentemente o Ministério da Saúde, através da Portaria Nº 1.823 de agosto de 2012, instituiu a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora, com a finalidade de definir os princípios, as diretrizes e as estratégias a serem observados pelas três esferas de gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), para o desenvolvimento da atenção integral à saúde do trabalhador, com ênfase na vigilância, visando à promoção e a proteção da saúde dos trabalhadores e a redução da morbimortalidade decorrente dos modelos de desenvolvimento e dos processos produtivos14.

 

            Como a QVT incuti benefícios tanto ao indivíduo como à organização, muitos estudos vêm sendo realizados, pautados nos interesses dos próprios funcionários, das organizações e dos pesquisadores5. Contudo, entende-se que uma maneira eficaz de promover a saúde e QVT são os PPST, que por meio de diferentes estratégicas influenciam tanto a vida dos funcionários como das organizações.

 

 

Quer ver o resultado deste estudo? Continue lendo este artigo de minha autoria em:

 

 

SILVA, P. S. C. . Programa de Promoção da Saúde do Trabalhador e suas influências: uma revisão de literatura. Revista Eletrônica Gestão & Saúde, v. 5, p. 727-752, 2014.

 

 

 

 

 

Please reload

Post em Destaque

Livro sobre o NASF para Profissionais de Educação Física!!

25/06/2016

1/1
Please reload

Posts Recentes
Search By Tags
Please reload

Follow Us
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • Google Classic
Please reload